Incidente com robô na fábrica da Tesla e a segurança na interação homem/máquina

Qual o limite, real e seguro, da interação entre homem e máquinas na indústria? Um engenheiro na fábrica da Tesla, próxima à cidade de Austin, no Texas, foi supostamente atacado por um robô em 2022, resultando em ferimentos, de acordo com um relatório recentemente vazado pelo site The Information. O incidente, que ocorreu há dois anos, só veio à tona no final de 2023.

O robô envolvido no incidente era responsável, com mais dois, por cortar peças a partir de placas de alumínio recém-fundidas. O resultado foi que esse equipamento seguiu em funcionamento, resultando no faturamento.

O incidente acende o alerta em fábricas, ambientes com trabalhadores expostos diretamente a riscos com equipamentos, como robôs e outras peças automatizadas. Como as empresas podem cuidar de seus operadores que estão lado a lado com máquinas que podem causar algum tipo de acidente, muitos até fatais.

Marcelo Lonzetti, Diretor da ztrax e especialista em tecnologia de monitoramento de pessoas e ativos, explica que o sistema RTLS é o ideal para evitar esse tipo de acidente:

“É uma solução que emite alertas previamente configurados para evitar a proximidade de pessoas com máquinas perigosas durante a produção. Os gestores têm controle sobre quem pode se aproximar e em que momento. Se o colaborador se aproximar de uma máquina em operação, o alerta é emitido instantaneamente para o gestor.”

Estes acidentes podem acontecer também no processo de descarregar produtos químicos ou durante a manutenção, momentos em que apenas pessoal especializado deve estar presente.

Para reduzir fatalidades, Marcelo elenca algumas ações que o sistema RTLS é capaz de realizar, como criar cercas virtuais que detectem posicionamentos muito próximos a equipamentos em operação:

“Quanto maior a complexidade das operações, maior é o grau de personalização que cada sistema deve ter. Como o RTLS é uma tecnologia adaptativa, cada gestor pode entender seus riscos e necessidades, isso faz a diferença no momento da proteção de pessoas e ativos”.

 

 

Compartilhe!

Quer receber conteúdo como este? Inscreva-se!

Veja mais

Escola Segura RS

Em maio de 2021 um crime chocou a pacata cidade de Saudades, interior de Santa Catarina. Três crianças e uma professora morreram a golpes de faca dentro de uma escola de educação infantil. O autor dos homicídios foi um rapaz de 18 anos, que acabou detido .

O ocorrido levanta a questão: o que professores e demais funcionários de uma escola podem fazer diante de tal cenário? A resposta mais óbvia é acionar equipes de segurança quanto antes.

Germano Medeiros, diretor comercial de uma empresa de segurança da grande Porto Alegre, percebeu a necessidade de uma resposta rápida para evitar tragédias como a de Santa Catarina e implementou o sistema ztrax Personal nas escolas atendidas por sua empresa na região metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. O resultado foi imediato:

“Não havia um sistema efetivo para atender prontamente essas ameaças até então. Temos, em uma escola, dez professores com o botão de emergência discreto que, ao serem acionados, mandam um alerta para a central fazendo com que, no máximo em 5 minutos, uma viatura chegue ao local. Tudo online, sem que o agressor ou suspeito desconfie do alerta”.

Aluno armado acabou detido

Em uma das ocorrências, um professor desconfiou que um aluno estava armado. Quando a equipe chegou ao local e identificou o perigo real, acionou apoio de viaturas da brigada militar e da guarda municipal para fazer a condução do menor infrator e tomar as medidas cabíveis.

“O sistema de botão de pânico discreto trouxe mais segurança e agilidade na resposta das equipes de segurança. Antes, um professor tinha que se esconder no banheiro, ligar para o 190 e esperar por um tempo muito maior do que agora”, completou Germano.

Essa agilidade traz mais segurança para professores, funcionários, alunos e pais. Existe o sentimento de segurança. O equipamento já foi acionado três vezes nesta mesma escola e trouxe solução efetiva para todos os problemas alertados. Gerou ações efetivas quando preciso. Não é possível mensurar o número de crimes evitados, e nesse caso, essa é uma boa notícia.